Crônicas de Comentadores
Pinto da Costa: o efeito eucalipto
O antes e o durante de PC
Pinto da Costa: o efeito eucalipto
Desde que, em 17 de Abril de 1982, Jorge Nuno Pinto da Costa venceu as eleições para a presidência do FC Porto, que os dragões passaram de clube regional para mundial. Uma mudança traçada ao longo de 31 anos e que continuará, pelo menos, mais três anos. Foi com base na oficialização da candidatura do actual presidente dos portistas, que foi elaborado este artigo. Quantos títulos tinha o FC Porto em 1982 e quantos tem hoje, quais foram as equipas que mais sofreram e beneficiaram com a saída do armário da equipa nortenha, a hegemonia que foi ganha e quem a perdeu, são os tópicos principais deste resumo do presidente mundial que mais títulos ganhou.

FC Porto antes e depois de PC
Os factos são por demais evidentes, até 1982 a equipa portista apenas tinha ganho sete campeonatos em 47, a partir daí, e até aos dias de hoje, os dragões já venceram 19 em 31 temporadas. Uma subida abissal, com menos 16 épocas o clube quase que triplicou os títulos alcançados, passou de uma percentagem de conquista de 15 para 61%. As possibilidades dos portistas serem campeões, desde que PC é o líder, é superior à dos outros clubes todos juntos. Mas a liga não foi o único troféu onde os azuis-e-brancos aumentaram a produtividade, essa subida foi generalizada a todas as competições oficiais. Na Taça de Portugal em 31 épocas o FC Porto triplicou o número de troféus que tinha obtido nas 41 edições anteriores, conquistou 12 perante as quatro que detinha até 1982. Passou de 10 para 39% de probabilidades de vitória. A Supertaça é outro dos troféus onde o favoritismo dos dragões é claro, 18 títulos em 31 possíveis, sendo esta a única competição nacional em que a equipa nortenha é a líder nacional de conquistas. No plano interno só há um título que ainda não conquistou, a Taça da Liga, onde em duas finais perdeu ambas, a última há uma semana frente ao Sporting de Braga.
Mas o FC Porto não se limitou a vencer dentro de fronteiras, extravasou a sua capacidade de conquista para o exterior. No plano internacional os dragões foram a única equipa que conquistou troféus pelo mundo fora na era Pinto da Costa. Quando chegou ao poder o Benfica já tinha duas Taças dos Campeões Europeus e o Sporting uma Taça dos Vencedores das Taças, mas o presidente não se intimidou e conseguiu ir mais além. Igualou a prestação dos encarnados na maior prova europeia de clubes, mas acrescentou também duas Ligas Europa, duas Taças Intercontinentais e uma Supertaça Europeia, ao todo sete títulos internacionais, tornando-se na equipa portuguesa mais laureada internacionalmente.
Em suma, quando PC chegou ao FC Porto o clube possuía 12 troféus, na sua presidência, até agora, já conquistou 56, quase cinco vezes mais o que havia herdado. Mas foi mais longe, conseguiu estabelecer o actual recorde de vitórias consecutivas na liga, que é agora de cinco, de triunfos seguidos na supertaça, é de quatro, e obteve seis “dobradinhas”, quando o clube na sua história apenas tinha conseguido uma. Teve fortes responsabilidades nos recordes negativos de Benfica e Sporting, no que se refere à conquista da liga, tendo a equipa de Alvalade estado 17 anos sem vencer e o clube da Luz 10. Números impressionantes de 31 anos de liderança.

O futebol em Portugal antes de PC
Uma altura em que o Benfica dominava por completo o panorama futebolístico nacional, sendo secundado pelo Sporting, enquanto o FC Porto ocupava o último lugar do pódio. Os encarnados tinham mais títulos que os outros grandes todos juntos, o Benfica somava 44 troféus e Sporting e FC Porto juntos tinham 38. A equipa da Luz tinha 51% dos campeonatos, 41% das taças e duas Taças dos Campeões Europeus. Os leões, que ocupavam a segunda posição, tinham mais do dobro das conquistas dos dragões, e eram a outra equipa portuguesa que já tinha experimentado o sucesso internacional, conquistaram a Taça dos Vencedores das Taças em 1964 frente ao MTK Budapeste. Os portistas iam somando recordes negativos, primeiro estiveram 15 anos sem vencer o campeonato, mas depois aumentaram ainda mais os números dessa pesada herança, passando para 18. Na Taça de Portugal só em 1956 o FC Porto ergueu pela primeira vez o troféu, depois desta competição ter começado em 1939. A seguir aos três grandes o clube que mais troféus venceu foi o Boavista, a equipa axadrezada ganhou três Taças de Portugal e uma Supertaça, tendo atrás o Belenenses que venceu duas Taças de Portugal e, mais importante, um campeonato, tornando-se na primeira equipa a vencê-lo sem contar com os três grandes. O lote de triunfantes completa-se com o Vitória de Setúbal, duas taças, Académica, Leixões e Sporting de Braga, todos com uma vitória na Taça de Portugal. Ao todo nove clubes venceram títulos nesta fase.

O futebol em Portugal durante PC
Uma fase onde o FC Porto tem um domínio avassalador, já venceu 56 títulos, mais do dobro do segundo, o Benfica com 22, que tem sido o maior sacrificado com esta subida dos dragões. O Sporting também sente na pele a emersão dos azuis-e-brancos, tendo apenas conquistado 14 troféus. É nesta altura que os rivais de Lisboa têm as suas piores prestações, a equipa leonina esteve 17 anos sem vencer a liga, enquanto o Benfica teve um jejum de 10 anos. Ao contrário é o momento em que os portistas têm as suas melhores performances, conseguem o pentacampeonato, recorde nacional, depois ainda conseguem o tetracampeonato, igualando o Sporting na segunda melhor sequência de sempre, têm o recorde de quatro supertaças seguidas, é a única equipa portuguesa a ganhar troféus internacionais e obtêm seis “dobradinhas”, tendo neste momento sete a uma do líder Benfica. É uma fase onze clubes venceram títulos, com especial incidência para o Boavista que venceu um campeonato, além de ser a quarta equipa com mais triunfos, cinco. O Vitória de Setúbal ocupa a quinta posição com uma Taça de Portugal e uma Taça da Liga, sendo seguido por Belenenses, Estrela da Amadora, Beira-Mar e Académica com uma Taça de Portugal cada. O sporting de Braga venceu uma Taça da Liga e o Vitória de Guimarães uma supertaça. Destaque para Estrela da Amadora, Beira-Mar e Vitória de Guimarães que venceram pela primeira um troféu.

Comparação entre os títulos antes e durante PC
Os números confirmam que a chegada de Pinto da Costa ao trono portista marca uma viragem no futebol nacional. O FC Porto passou a vencer, mas mais que isso, com uma enorme frequência, secando os rivais à volta. Fez do FC Porto – Sporting e do FC Porto – Benfica, e vice-versa, verdadeiros clássicos, algo que antes da sua chegada só se poderiam denominar desta forma por simpatia. Os dragões subiram nas probabilidades de conquista da liga 46%, na Taça de Portugal 29% e na Supertaça 25%. Alia-se a isto o facto de internacionalmente ter ganho sete troféus, o melhor desempenho de uma equipa portuguesa e, neste momento, ser a equipa portuguesa com mais títulos ganhos. Conseguiu reduzir em 25% as probabilidades do Benfica ser campeão e 22% ao Sporting. Na Taça de Portugal as reduções são de 18% para os encarnados e 11% para os leões. Uma hegemonia que se mantem ainda, apesar da ameaça benfiquista. Vamos ver se os próximos três anos, incluindo já esta época confirmam a pretensão encarnada, ou se tudo não passará apenas de uma aproximação?

Artigo completo com quadros em http://www.vantagemnumerica.pt/news/pinto-da-costa-o-efeito-eucalipto/
Comentador: Pedro Santos Pereira
Fonte: www.vantagemnumerica.pt
Autor: Pedro Pereira
comentários
Não foram introduzidos comentários a esta crônica!
PUB
TacticalPadSericertimaMundo do TreinadorTacticalPadBairrinformática
AcademiaFalta informação?Academia
patrocinadores (energigas)InstalminhoAcademia
Energigas24TacticalPadSports Training