Entrevistas de Treinador
Luis Simões
Treinadores tem receio de usar 1ª pessoa
Luis Simões

Luís Simões


Treinador seniores Anadia FC

Época 2012/2013

"por vezes eu acho que os treinadores de futebol tem algum receio de falar na primeira pessoa, dizer "eu faço desta forma" e se todos perdêssemos um pouco esse receio de dizer como é que fazemos, penso que o treino e o jogo poderiam evoluir muito mais."


AF – Quais os objectivos para esta época?

LS - Quando nós arrancamos no dia 26 Julho, o objectivo que nós traçamos era fazer um campeonato tranquilo e garantir continuidade na segunda divisão. Na taça é sempre difícil estabelecer um objectivo, depende das equipas que nos vão calhando em sorte mas, é até onde nós conseguirmos ir, este ano a taça tem um aliciante por cada eliminatória recebemos um determinado montante. Quanto mais longe formos não só é bom em termos desportivos mas também em termos financeiros é sempre compensador. Por isso é jogo a jogo vamos tentando ultrapassar, no domingo vamos ter o Belenenses. Naturalmente respeitamos o adversário, temos também as nossas aspirações em seguir em frente na taça.

AF – Qual a opinião sobre o nível de competitividade na segunda divisão – zona centro?

LS - Existe uma imagem negativa dos campeonatos não profissionais, nomeadamente a segunda divisão e a terceira, ainda que a terceira ao que tudo indica pode ser extinta. Tem sido muito agradável ver que algumas equipas ainda que ainda so vamos na 5 jornada. Mas temos equipas que não só aquelas que jogaram ja contra nós, mas alguns jogos que nós ja vimos de outras equipas, e vê-se que a equipas que procuram jogar futebol, procuram jogar bem, tem sido muito agradável, penso que é um nível competitivo muito interessante.

AF – Como caracterizas a forma de jogar da equipa?

LS - É sempre uma pergunta difícil, não é fácil caracterizar objectivamente a nossa equipa. A nossa equipa, falando em termos de jogo propriamente dita tenta, sempre que possível jogar em ataque organizado, mas naturalmente isto não é uma opção principal pois o jogo vai nos dando outras coisas e muitas vezes o que é ataque organizado pode passado algum tempo transformar-se em contra ataque ou ataque rápido. Não há propriamente um método de jogo digamos assim, que nós consigamos dizer que é o nosso principal. Em função daquilo que o jogo nos vai dando, vamos nos adaptando a essas situações. Procuramos jogar com qualidade, procuramos não jogar permanentemente de uma forma directa, procuramos construir, ainda que por vezes também jogamos de um forma directa por o jogo a isso obriga e nós vamos nos tentando adaptar ao adversário e ao jogo em si.

AF- Existe mais pressão para vencer ou para jogar bem?

LS - Eu penso que nem existe pressão para uma coisa nem para outra, existe uma vontade nossa, da equipa técnica, em conseguir jogar com qualidade, jogando com qualidade seja em contra ataque, ataque rápido ou ataque organizado que nos possa permitir ganhar mais vezes. É esse o nosso objectivo, sabendo nos de antemão que ao de haver jogos que não vamos jogar assim tão bem e vamos conseguir ganhar e outros onde vamos jogar muito bem e não vamos conseguir ganhar. Sabendo nós a partida que, se jogarmos bem, com mais qualidade, mais vezes, estamos mais próximos de conseguir ganhar.

AF - Actualmente qual a equipa que te da gozo ver jogar no panorama europeu?

LS - Ha duas ou três situações que eu gostava de enumerar;

Pela qualidade técnica e táctica dos jogadores, o Barcelona é uma das equipas que gosto de ver jogar. Independentemente de dizerem que tem muita ou pouca objectividade, o futebol traduz-se por resultados e eles com aquela forma de jogar, ganham. Ou seja, aqui uma característica que é a qualidade técnica e táctica deles que é topo!

Por outro lado é interessante ver fundamentalmente o Real Madrid, das vezes que vão jogando com o Barcelona os mecanismos que a equipa encontra para se ajustar e para contrariar o jogo do Barcelona, e tem tido algum sucesso. Portanto tem sido estas duas equipas, uma conjugação uma pela qualidade que tem de jogo o Barcelona e o Real Madrid pela forma como tem procurado contrariar.

Por outro lado sem especificar nenhuma equipa, pela sua forma de pensar o jogo aprecio muito as equipas Italianas. Que são equipas que defendem extremamente bem, no limite muitas vezes do que é possível de defender e pela sua frieza que depois mesmo defendendo bem, seja pressionando a campo inteiro ou mais no seu meio campo, apesar de defenderem bem ou pela forma como defendem não deixam de ganhar jogos.

AF – É objectivo do departamento sénior do Anadia FC incluir jovens formados no clube, na equipa sénior?

LS - Não consigo ter dados em relação as épocas anteriores do Anadia, no entanto posso dizer que este ano no plantel sénior temos 7 jogadores da formação do Anadia, o que é óptimo. Aquilo que estamos a trabalhar, é para que esses jogadores não sejam meramente um dado estatístico só para podermos dizer que eles estão no plantel, mas estamos a tentar trabalha-los e a medida que o tempo for passando eles possam ser de facto uma opção. 

AF - Com a actual conjuntura económica  do País achas importante apostar na formação?

LS - Não se deve só a actual conjuntura económica, eu acho que a aposta na formação deveria ser um projecto desde sempre dos clubes, o futebol é um fenómeno socialmente importante e o futebol tem uma característica de representar uma cidade, uma vila, uma região e o País. Ora se assim é quanto mais jogadores da zona, dessa localidade estiverem na equipa sénior maior é a identificação da equipa com a região. Agora é importante, volto a dizer agora noutro contexto que a formação não seja só um dado estatístico. Mas que se trabalhe efectivamente a formação por forma a poder rentabilizar esses jogadores que vêem de baixo.

AF - As novas tecnologias estão cada vez mais evoluídas, achas que podem ser uma mais valia na formação, no ensino do futebol amador ou profissional?

LS - É sempre bom conhecermos o nosso adversário, sem perdermos a identidade da nossa equipa. Agora há aqui um dado importante que tem gerado alguma discussão que é: Os dados estatísticos do futebol  o sucesso e insucesso das equipas, porque muitas vezes assistimos a equipas que tem uma percentagem maior de posse de bola, mais cantos, mais remates a baliza e perde. Nomeadamente no Basket que é uma modalidade que esta muito evoluída na estatística, no basket os dados estatísticos estão mais relacionados com o ganhar e perder. E no futebol isso não acontece tanto, ou seja era interessante perceber que tipo de dados estatísticos é que são importantes no futebol.

Dizer que uma equipa teve 70% de posse de bola, muitas vezes uma equipa com 70% perde. Recentemente aconteceu Rússia contra Portugal e Portugal contra Irlanda, Portugal com cerca de 70% de posse de bola, empatou um jogo e perdeu o outro. Importante perceber quais são os dados estatísticos relacionados com o ganhar e perder. No basket as melhores equipas a nível de estatísticas normalmente ganham e no futebol os dados estatísticos ainda não traduzem objectivamente quais são as melhores equipas.


Agora, evidente que não são só os dados estatísticos, é o conhecer o adversário, conhecer e filmar a nossa equipa, parece simples mas não é. Fazer uma analise da nossa própria equipa, porque para nós melhorarmos temos de conhecer a nossa equipa cada vez mais. Por isso tudo o que possa ser feito em termos de tecnologias e não só para melhorar a qualidade do jogo, acho que devem ser aplicadas, sempre que tal seja possível.


AF – Achas importante desenvolver um software, uma base de dados que possa ajudar os treinadores?

LS - Importante é, fundamental, eu próprio conheço algumas bases de dados, todas elas a pagar ou quase todas. Falta saber se essa base de dados existe, se a Academia de futebol pode ser essa tal mais valia, e essa base de dados possa surgir onde tenha exercícios de determinadas tipologias de exercícios, onde os treinadores possam contribuir com alguns dados, opiniões, informações. Salvaguardando uma questão, por vezes eu acho que os treinadores de futebol tem algum receio de falar na primeira pessoa, dizer "eu faço desta forma" e se todos perdêssemos um pouco esse receio de dizer como é que fazemos, penso que o treino e o jogo poderiam evoluir muito mais.

Para além dessa base de dados, com alguma periodicidade as pessoas deviam sentar-se a uma mesa e dar a sua opinião. Por tanto não só local para ir buscar a informação neste caso online, mas também o momento onde as pessoas pudessem falar do treino e sobre o jogo, sem preconceitos e sem defesas.

AF – Treinador que admires? Porque?

LS - Digo-te 3 nomes, uma referencia aqui em Portugal, Luís castro que foi com ele que me iniciei como treinador adjunto. E foi com ele que fomos da terceira, a segunda B e a super liga. É uma referencia enquanto treinador e enquanto pessoa, faz parte do meu crescimento ao longo de vários anos, esta agora no departamento de formação do FC Porto.

Outros treinadores, o José Mourinho porque é Português e por tudo que ja ganhou em vários Países por onde passou, e Pepe Guardiola  pelo facto de ter conseguido aproveitar as características dos seus jogadores e por definir um modelo de jogo que sendo polémico, as pessoas acusam de falta de objectividade, mas acima de tudo conseguiu inovar e criar um modelo de jogo novo. E só pelo facto de ter conseguido criar algo novo no contexto actual que é muito difícil de inovar ele merece o meu respeito..
Autor: Academia de futebol
comentários
Não foram introduzidos comentários a esta entrevista!
PUB
Mundo do TreinadorBairrinformáticaSericertimaTacticalPadTacticalPad
AcademiaFalta informação?Academia
InstalminhoAcademiapatrocinadores (energigas)
Energigas24Sports TrainingTacticalPad